EPE – Parcial Coberto

Stent esofágico metálico auto expansível parcialmente coberto de ampla aceitação entre os endoscopistas, por sua facilidade de posicionamento e remoção utilizando os laços proximais e distais. Sua malha segmentada traz como vantagens minimizar a migração durante os movimentos peristálticos, bem como promover múltiplas áreas de constrição.  Recomendado para o tratamento paliativo de estenoses oriundas de tumores malignos, pode ser posicionado ao longo de todo o trajeto. Apresenta como características principais o formato de copa expandido em ambas as extremidades, os laços e o seu recobrimento em silicone nas extremidades. Seu sistema de entrega é do tipo OTW e sua liberação é distal.

SHS – Não Coberto

O stent metálico biliar auto expansível do tipo SHS apresenta um mix de construção em liga de Nitinol, que confere a este stent força axial mediana, e assim boa flexibilidade e adaptação anatômica. Trata-se de um stent descoberto indicado para o tratamento de estenoses malignas que acometem os dutos biliares. Apresenta como característica principal o formato de “flare” expandido em ambas as extremidades, para mitigar migração. Seu sistema de entrega é do tipo TTS e sua liberação é distal, podendo ser recapturado.

BNY – Não Coberto Hilar

O Stent biliar metálico autoexpansível de malha mista BNY apresenta exclusivo sistema de entrega de 7Fr. Desenhado para permitir abordagens em estenoses malignas hilares do duto intra hepático, como “stent sobre stent” ou “Y – side by side”, destaca-se de versões de corte a laser, por apresentar células largas e fechadas no centro do stent, permitir reposicionamento e melhor conformidade aos tecidos. Seu sistema de entrega é do tipo TTS e sua liberação é distal, podendo ser recapturado. É compatível com fio guia de 0,035.

NDSL – Não Coberto

O stent metálico duodenal auto expansível NDSL apresenta um mix de construção em liga de Nitinol, que confere a este stent força axial mediana, e assim boa flexibilidade e adaptação anatômica. Trata-se de um stent descoberto indicado para o tratamento de estenoses malignas duodenais e pilóricas. Apresenta como características principais o formato de “flare” expandido em ambas as extremidades, para mitigar migração e laço na extremidade proximal. Seu sistema de entrega é do tipo TTS e sua liberação é distal, podendo ser recapturado.

BPN – Parcial Coberto

O stent biliar metálico auto expansível do tipo BPN caracteriza-se por um padrão diferenciado de revestimento em metade de sua extensão proximal. Desenhado para permitir posicionamento e drenagem diferenciada no tratamento de estenoses promovidas por tumores malignos, que acometem principalmente a região próxima ao duto pancreático. Seu sistema de entrega é do tipo TTS e sua liberação é distal, podendo ser recapturado.

EPG – Parcial Coberto com Shim

Stent esofágico metálico auto expansível parcialmente coberto (porção proximal), com sistema de fixação externa anti-migração. O uso de sistema de fixação externa acoplado na porção proximal, é conhecido como técnica de Shim, sendo recomendado para o uso em regiões com alta probabilidade de migração. Apresenta facilidade de posicionamento e remoção utilizando os laços proximais e distais. Sua malha segmentada traz como vantagens minimizar a migração durante os movimentos peristálticos, bem como promover múltiplas áreas de constrição. Recomendado para o tratamento paliativo de estenoses oriundas de tumores malignos, pode ser posicionado ao longo de todo o trajeto. Apresenta como características adicionais o formato de copa expandido em ambas as extremidades e o seu recobrimento em silicone nas extremidades. Seu sistema de entrega é do tipo OTW e sua liberação é distal.

HRC – Parcial Coberto Especial

O stent metálico colorretal auto expansível HRC apresenta um mix de construção em liga de Nitinol, que confere a este stent força axial mediana, e assim boa flexibilidade e adaptação anatômica. Trata-se de um stent parcialmente coberto com um padrão de copas assimétricas e amplas de 26mm e 40mm. É Indicado para o tratamento de estenoses malignas colorretais, bem como Doença de Crohn. Apresenta como características adicionais 2 laços na porção proximal, para facilitar seu posicionamento e remoção, bem como 16 marcações radiopacas. Seu sistema de entrega é do tipo TTS e sua liberação é distal, podendo ser recapturado.